...................Imagem google
Os baobás africanos

Sobre a luz púrpura, nascem
Mais sede, mais fome
Filhos do Cairo
São olhos e pássaros
Constroem suas casas
Nas tabernas dos baobás
O batuque dos homens
As fazendas das mulheres
Escondem as feridas acesas
As Cinzas, O Céu, O Homem
Três casas diferentes
E no amanhecer as crianças
Brincam com a farinha d’água

Claudia Almeida
16/01/2010

2 comentários:

Sônia Brandão disse...

Gostei da riqueza de imagens do poema.

bjs

José Carlos Mendes Brandão disse...

Gostei dos seus baobás, Cláudia.

"E no amanhecer as crianças
Brincam com a farinha d’água" - isso é lindo.

Beijos.