Maria Farinha

Ela bebeu o reflexo do leite no luar e saiu atrás de telhas
manhãs quentes iriam nascer...
Caminhava sobre as pedras vermelhas sem uma semente
pra enterrar
e no céu iam nascendo estrelas
e a lua minguando...
o nariz do cachorro pingando
seguia farejando o reflexo da lua
Maria Farinha olhava a lua de maisena e alimentava os filhos
o pensamento era de fome ela via a lua e comia mandioca
mordia a mandioca e lembrava do buraco estreito do mundo
os parentes fingiam acreditar
mas quando ela voltava com dinheiro
eles saiam caçando também...

Claudia Almeida

Um comentário:

castanhamecanica disse...

Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

Que toda poesia seja livre!
Fred Caju