uma criança vive de amoras
no fim da tarde ela - sangra.

claudia almeida

Nenhum comentário: