a morte extrai do homem
a noite sombria
_ um duende salta
   de barbas brancas.

claudia almeida

Nenhum comentário: